Hora Disponibilidade Preço Desde
10 DEZEMBRO 17:00 (CINEMA E MÚSICA) 17:00
3,00 € Comprar
14 DE JANEIRO DE 2023 17:00 (CINEMA E FOTOGRAFIA) 17:00
3,00 € Comprar
11 DE FEVEREIRO DE 2023 17:00 (CINEMA E DANÇA) 17:00
3,00 € Comprar
11 DE MARÇO DE 2023 17:00 (CINEMA E ESCRITA) 17:00
3,00 € Comprar
15 DE ABRIL DE 2023 17:00 (CINEMA E PINTURA) 17:00
3,00 € Comprar
13 DE MAIO DE 2023 17:00 (CINEMA E TRANSCENDÊNCIA) 17:00
3,00 € Comprar
VOLTAR
UM FILME FALADO OU O CINEMA E AS OUTRAS ARTES
Local: FUNDAÇÃO DE SERRALVES - AUDITÓRIO
Data(s): De 8 de outubro de 2022 - 17:00:00   a   13 de maio de 2023 - 19:00:00
Preço: 3 €
Duração: 120 Minutos
Classificação: M/12
Promotor: FUNDAÇÃO DE SERRALVES

A casa tem um certo mistério. O meu espírito habitou nela cerca de 40 anos. Viu criar e crescer duas gerações. Amareleceu e enrugou como as folhas das árvores no Outono.” A apresentação da casa é de Manoel de Oliveira e nela cabe uma ideia de tempo cronológico, tempo biológico, tempo imaterial, de “um tempo que foi e um futuro que vai ser passado”. Uma casa é um corpo, um corpo é uma casa, é um mapa onde se desenham órgãos, músculos, tecidos, veias, e mesas, quadros, fotografias de família, escadas, as rosas e as máquinas. A literatura, o teatro, o pensamento, a música são elementos centrais no cinema de Oliveira. Este ciclo é composto de uma série de sessões nas quais se exploram as relações do cinema com algumas dessas artes e se potencia um diálogo de Oliveira com (e a partir de) grandes clássicos da cinematografia mundial. O desenho é simples: oito sessões, subordinadas a temas diversos (arquitectura, teatro, música, fotografia, dança, literatura, pintura e filosofia), discutidos por um grupo de pessoas de diferentes áreas e de diferentes gerações.
Anabela Mota Ribeiro
Conceção e moderação


CONFIGURAÇÃO

A casa tem um certo mistério. O meu espírito habitou nela cerca de 40 anos. Viu criar e crescer duas gerações. Amareleceu e enrugou como as folhas das árvores no Outono.” A apresentação da casa é de Manoel de Oliveira e nela cabe uma ideia de tempo cronológico, tempo biológico, tempo imaterial, de “um tempo que foi e um futuro que vai ser passado”. Uma casa é um corpo, um corpo é uma casa, é um mapa onde se desenham órgãos, músculos, tecidos, veias, e mesas, quadros, fotografias de família, escadas, as rosas e as máquinas. A literatura, o teatro, o pensamento, a música são elementos centrais no cinema de Oliveira. Este ciclo é composto de uma série de sessões nas quais se exploram as relações do cinema com algumas dessas artes e se potencia um diálogo de Oliveira com (e a partir de) grandes clássicos da cinematografia mundial. O desenho é simples: oito sessões, subordinadas a temas diversos (arquitectura, teatro, música, fotografia, dança, literatura, pintura e filosofia), discutidos por um grupo de pessoas de diferentes áreas e de diferentes gerações.

Anabela Mota Ribeiro

Conceção e moderação




O nosso site utiliza cookies, próprios e de terceiros, tendo em vista melhorar a sua experiência de navegação, analisar a utilização do site, conhecer o sucesso das campanhas de marketing e dirigir-lhe anúncios personalizados.
Para mais informação por favor consulte a nossa Política de Cookies e a Política de Privacidade.